close

Viajar através da imagem e do papel

Como dizia Marcel Proust: “a verdadeira viagem da descoberta não consiste em procurar novas paisagens, mas sim em vê-las com novos olhos”. Porque ver de outra forma poderá ser o segredo para continuar a crescer, em todos os sentidos.

 

Pense nisso. É provável que já tenha visitado várias vezes Paris, Roma, Nova Deli, Marraquexe ou Londres, ou que seja assíduo em Madrid ou Lisboa. Ou até que acredite conhecer como a palma da mão a cidade onde cresceu.

 

Contudo, os destinos, por muito bem que os conheça, mudam quando alguém ou algo lhos mostra por outro prisma. Aprender a observar atentamente e a revisitar lugares deveria ser uma prática obrigatória. Há mil maneias de o fazer e nem sempre envolvem um avião, comboio ou barco.

Regressar a um local onde já esteve é possível através de um odor, som ou toque. E, claro, através de uma visão renovada que abre infinitas possibilidades. E há livros que facilitam a travessia.

 

Milhares de artistas capturaram entre as páginas de um livro a sua forma particular de entender uma cidade, um país ou uma cultura. As suas imagens cativam por serem impactantes, artísticas ou simplesmente por mostrarem outro ponto de vista. As mais valiosas são reunidas em edições escrupulosamente cuidadas para potenciar ao máximo o impacto do conteúdo.

 

A seleção do papel, uma vez mais, é essencial para que a forma acompanhe o conteúdo, transformando-os num tandem indissolúvel. Brilhos ou mates, texturas e gramagens desempenham um papel crucial quando são o veículo condutor de uma história contada em imagens.

Os papéis Fedrigoni protagonizaram muitas dessas publicações. Há inúmeros exemplos, desde a visão das zonas mais desfavorecidas de Paris retratadas pela câmara de Benoît Fougeirol, numa edição cuidada produzida em várias gamas de Woodstock, até à de Paris cheia de glamour pelo olhar da prestigiada marca YSL sobre uma base das gamas Sirio e Marina.

As gamas Woodstock e Symbol Freelife transportam-nos magicamente para o Usbequistão, para revelar a força das imagens desta publicação que nos abre uma janela sobre as gentes e a cultura deste país. E para aqueles a quem souber a pouco ficar por um único país, este guia mundial leva-nos a passear por diversos cantos do planeta para nos mostrar as peças de mobiliário criadas pela empresa Moroso, uma publicação produzida em Arcoprint 1 Extra White e Sirio Color, galardoada com um Top Applications Award.

 

Há tantos exemplos possíveis como há gamas de papéis Fedrigoni. Nada se compara ao prazer de nos sentarmos a apreciar um destes livros visuais que nos transportam para onde desejamos e no momento que queremos, simplesmente porque vemos com outros olhos.

 

Créditos das publicações (por ordem de apresentação)

Publicação sobre a obra do fotógrafo Alvin Langdon Coburn
Papéis utilizados: Symbol Tatami, Freelife Vellum e Savile Row Tweed

Ensaio fotográfico “Ethiopia”
Papéis utilizados: Century Cotton Wove

“ZUS”, de Benoît Fougeirol
Papéis utilizados: Woodstock Grigio e Bianco

YSL – Mon Paris
Papéis utilizados: Sirio Ultra Black, Sirio Color e Marina

Chilla – Zukhra
Papéis utilizados: Woodstock e Symbol Freelife Gloss

Moroso: The world travel guide
Papéis utilizados: Arcoprint 1 Extra White e Sirio Color

prev next