close

250 anos de história da imprensa portuguesa numa edição única

De que forma um livro se pode tornar uma extensão sensorial da imprensa e um hino à história da Imprensa Nacional de Portugal (INCM)? “Imprimere” assinala o 250.º aniversário desta imprensa, narrando a sua história e explicando como os processos de criação de livros evoluíram ao longo de dois séculos.

A homenagem chegou pela mão da ESAD – IDEA, Investigação em Design e Arte e da INCM, que apostaram na organização de uma exposição que mostrasse o legado da Imprensa Nacional. O resultado, para além do êxito com que foi recebida, foi este projeto de edição que serve também de catálogo da exposição.

 

Pensado para ser uma viagem no tempo, um agente para a aprendizagem e um choque entre os séculos, o volume explora de forma didática os principais processos e técnicas de artes gráficas que se utilizaram em Portugal nestes 250 anos de história da impressão. Sob a perspetiva do papel, do tipo, da tipografia, da calcografia, da serigrafia, da litografia e da encadernação, entrelaçam-se inúmeras imagens de máquinas, instrumentos e materiais que ilustram a riqueza da história das artes gráficas em Portugal.

Um projeto editorial com esse argumento precisava de cuidar escrupulosamente de todos os detalhes. Foi a isso que se dedicou a agência de design portuguesa Studio Degrau, responsável por dar forma a esta compilação e que apostou no Materica Acqua 120 g da Fedrigoni para dar a profundidade necessária às letras da capa, estampadas a quente com o objetivo de dar ênfase ao peso de uma impressora industrial. Além disso, utilizou o Stucco Tintoretto Gauges 120 g, com acabamento brilhante graças ao seu tratamento especial “stucco”, e o Arcoprint Milk Edizioni 1.5 White 100 g, com uma opacidade excecionalmente alta e um excelente desempenho de impressão.

 

Com um design clássico mas acentuado com espaços em branco dramáticos, cores metálicas e sangria pesada, Imprimere oferece muitas sensações táteis que evocam o aspeto mais industrial da impressão mas também os processos artesanais.

 

Um exemplo é a tinta histórica que salpica as bordas das páginas, um relance da que se usava nos antigos Registos Nacionais para materializar o processo de entintar o papel. Por outro lado, os elementos tipográficos são uma reminiscência dos processos de gravação e dos tipos Didone, amplamente usados nos séculos XVIII e XIX, mas agora com um novo tratamento digital.

O resultado final deste projeto de edição captou a atenção do júri do concurso Fedrigoni Top Award 2019, que o incluiu na sua página de Internet entre os melhores candidatos na categoria de “Livros”. Os vencedores desta última edição foram anunciados no passado dia 8 de maio, numa cerimónia de entrega de prémios celebrada na capital alemã, Berlim.

 

A história de sucesso de muitas equipas de design, amantes dos papéis Fedrigoni, leva-nos a continuar a incentivar-vos a partilhar os vossos projetos realizados com os nossos papéis, para que possamos contagiar toda a nossa comunidade com a vossa criatividade. Pode carregá-los diretamente na nossa plataforma para que os possamos dar a conhecer!

 

Créditos
Design e Direção artística: Studio Degrau (@studiodegrau)
Fotografia: Luís Espinheira
Editorial: ESAD – IDEA, Investigação em Design e Arte e Imprensa Nacional-Casa da Moeda
Editores: Rúben Dias | Sofia Meira
Papéis Fedrigoni utilizados: Materica Acqua 120 g, Stucco Tintoretto Gesso 120 g, Arcoprint Milk Edizioni 1.5 White 100 g

prev next